Volume de crédito bancário registra alta de 0,2% em março, diz BC

Foto:Reprodução
O volume total do crédito bancário registrou alta de 0,2% em março deste ano, para R$ 3,07 trilhões, informou o Banco Central nesta quarta-feira (26). Esse foi o primeiro aumento do estoque do crédito dos bancos em 2017.

Nos dois primeiros meses deste ano, o crédito bancário havia registrado queda de 1,1%. Naquele momento, porém, a autoridade monetária já informava esperar recuperação nos próximos meses.
Para todo ano de 2017, a previsão do BC é de uma alta de 2% no volume do crédito ofertado pelas instituições financeiras neste ano, na comparação com 2016.

Em março, de acordo com a instituição, as operações com pessoas físicas cresceram 0,6%, alcançando R$ 1,57 trilhão, enquanto a carteira de pessoas jurídicas recuou 0,3%, para R$ 1,5 trilhão.

Na segmentação por atividade econômica do crédito às empresas, as operações com a indústria registraram queda mensal de 0,3%, situando-se em R$ 729 bilhões, com destaque para o declínio no ramo da construção (-1,5%, para R$ 97 bilhões). No setor de serviços, houve contração de 0,2%, para R$ 718 bilhões.

Juros bancários
Os números do BC mostram que houve, em março, queda dos juros médios cobrados pelos bancos tanto nos empréstimos a pessoas físicas quanto a empresas nas operações com recursos livres (que excluem crédito imobiliário, rural e do BNDES).

Em março, de acordo com a autoridade monetária, a taxa média de juros das operações com recursos livres para as pessoas físicas somou 72,7% ao ano, contra 73,5% ao ano em fevereiro. Trata-se do menor patamar desde dezembro do ano passado (72,4% ao ano). A taxa cobrada das empresas, por sua vez, recuou de 28,7% ao ano em fevevereiro para 27,5% ao ano em março.

A queda dos juros bancários acontece em momento de recuo da Selic, a taxa básica de juros da economia, fixada pelo Banco Central, que influencia a chamada "taxa de captação" dos bancos, ou seja, quanto eles pagam pelos recursos.

Desde outubro do ano passado, os juros básicos da economia recuaram de 14,25% para 11,25% ao ano, uma queda de três pontos percentuais.

Nesse mesmo período, porém, os juros bancários médios nas operações com pessoas físicas passou de 74,3% ao ano para 72,7% ao ano - um recuo de 1,6 ponto percentual. Com isso, os juros bancários cobrados das pessoas físicas recuaram metade do corte da taxa básica de juros promovido pelo Banco Central desde outubro do ano passado.

Taxa de inadimplência
Dados do Banco Central mostram que a taxa de inadimplência subiu em março deste ano. No mês passado, a taxa de inadimplência das pessoas físicas e jurídicas, nas operações com recursos livres (exclui crédito imobiliário, rural e do BNDES), subiu de 5,6% para 5,7%

Considerando a inadimplência com recursos livres para pessoas físicas, houve estabilidade em 5,9%. No caso das operações com empresas, a taxa de inadimplência avançou de 5,2% em janeiro para 5,6% em março.
Fonte:G1

Related

Notícias 962704081526467423

Postar um comentário

TV Web TriLivre

Bem Vindo Ouvinte!

Seja bem vindo a Rádio Tribuna Livre, um portal de entretenimento garantido onde você vai poder ouvir as melhores músicas, ficar por dentro das notícias e interagir com a galera mais antenada da rede. Faça seus pedidos, participe das promoções e deixe seu dia muito mais animado com esse som!

Receba As Notícias por E-Mail

Qual seu Estilo?

Tempo em Juquiá

Tempo Juquia
item